Açude de Taperoá seca e moradores buscam alternativas para sobreviver

A falta de chuvas em 2014 causou transtornos para a população da cidade de Taperoá, no Cariri paraibano. O principal açude que abastecia a cidade secou completamente e os moradores estão dependendo de alternativas para conseguir água para o consumo humano na cidade.
Uma equipe da TV Paraíba visitou o município para mostrar a situação do açude. Há um ano, o local estava com pouca água, acumulada em poças. Atualmente, dá para pisar no local onde tinha água e o açude secou completamente, restando apenas uma vegetação pálida com galhos secos e lama. A cidade agora recebe água de uma adutora do açude Mucutu, no município de Juazeirinho, mas o abastecimento não é regular.
De acordo com a dona de casa Maria José, a água encanada só chega na residência dela duas vezes por semana. “O caso aqui é sério. É complicado para nós porque não é todo dia que temos dinheiro para comprar água quando falta na torneira”, disse a moradora. Além disso, os moradores reclamam também da qualidade da água.
“Tem gente que tem alergia a essa água, não pode usar para tomar banho, é imprópria para o consumo humano. Usamos apenas para os animais e para usar no banheiro e lavar a casa. para outras coisas, não serve”, disse o agricultor Agnaldo Cruz.
Nos bairros mais altos e afastados, além da zona rural, a água não chega nas torneiras, e os moradores dependem de carros-pipa ou de comprar água. Em alguns casos, quando a água falta e a população não tem dinheiro para comprar, os moradores saem das casas em busca de água nos poços e cacimbas da região. A esperança é que em 2015 o ano seja de chuva. “Se vier, tem que ser agora em janeiro, fevereiro ou março. Se não chover neste período, será outro ano de seca e o Mucutu pode até secar”, comentou o agricultor Luiz Gouveia.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.