Efraim critica cobrança sobre energia solar: “Criatividade chegou no absurdo de taxar o sol”




O candidato ao Senado Federal, Efraim Filho (União Brasil), esteve nesta quarta-feira (31) dando entrevista tanto na rádio quanto na TV Correio. Dentre os assuntos abordados nas entrevistas, o trabalho que o parlamentar fez como deputado, suas propostas para o cargo de senador da Paraíba e pautas que abraçam o empreendedorismo, uma bandeira que o candidato carrega desde o começo. 


Efraim sempre foi favorável à produção de energias limpas e renováveis, como a solar e eólica, e defende mais oportunidades e menos impostos para a população. Sobre o absurdo da “taxação do sol”, rebateu dizendo: "A produção de energia renovável surge também como espaço para geração de emprego e renda, principalmente no sertão da Paraíba. Elas têm sido foco da geração de 1.500 empregos apenas no Sertão. Não dá para usar isso como forma de cobrar mais um imposto".


Segundo Efraim, a cobrança é incondizente: “A criatividade chegou  ao absurdo de taxar o sol! Não dá! Energia limpa deveria ser estimulada”. A cobrança de ICMS surgiu para quem quiser produzir luz solar. É um imposto cobrado pela circulação de mercadorias e serviços, pelo excedente de energia produzido, e recebeu o apelido de “taxa do sol”. 


Mais uma pauta abordada foi a reforma tributária, na qual Efraim é favorável, pois é uma forma de incentivar a geração de empregos: “Quanto menos imposto, mais emprego e mais dinheiro no bolso do contribuinte. Temos que cobrar mais de quem recebe mais. Às vezes você tá tirando a conta da farmácia ou da mensalidade de uma escola. Meu trabalho é para facilitar a vida da população, não para facilitar a vida do governo”.


Crescendo nas pesquisas, Efraim Filho segue sua campanha da forma que começou lá atrás, em 2021, indo às ruas, dialogando com os paraibanos e as lideranças, mostrando que as emendas chegaram como forma de melhorias nos municípios e recebendo o reconhecimento das pessoas por onde passa.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.