VAI COMEÇAR O MOÍDO: Bancários e carteiros podem começar greve

Os bancários continuam buscando negociações para as propostas apresentadas e fazem protestos nesta segunda-feira (15) em agências da Capital, indicando possibilidade de greve ainda nesta semana.

De acordo com a categoria, a Caixa Econômica não teria se posicionado a favor das reivindicações. Os manifestantes estiveram no Bradesco e no Banco do Brasil nesta segunda, mas não divulgaram o resultado acerca das solicitações.

Os bancários pedem 12,5% de reajuste salarial, valorização do piso salarial no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 2.979,25 em junho), defesa do emprego, fim da terceirização e combate às metas que consideram abusivas e ao assédio moral.

A Federação Brasileira dos Bancos informou por meio de nota que deve, em breve, apresentar uma contraproposta de reajuste salarial, dando continuidade ao processo de negociações. Segundo o presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcos Henriques, as negociações com a Febraban começaram em agosto, mas não teriam avançado.

Os protestos seguem por toda a semana nas agências bancárias de João Pessoa e na sexta-feira (19), os profissionais decidem se haverá paralisação por tempo indeterminado.

Carteiros
Agora são os profissionais dos Correios que também anunciam greve que pode começar nesta quarta-feira (17). A categoria se reúne na tarde desta segunda-feira (15) no Tribunal Regional do Trabalho na Capital para decidir sobre a situação.

O secretário de finanças do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios na Paraíba, Roosevelt Tavares, disse ao Portal Correio que as decisões tomadas na tarde desta segunda serão levadas para uma assembleia que vai ocorrer com a categoria na tarde de quarta. “A partir dessa reunião com os profissionais que vamos decidir se haverá greve ou não”, esclareceu.

Segundo Tavares, os profissionais pedem aumento de 6,5% para repor as perdas provocadas pela inflação e mais 8% de ganho real sobre o salário. De acordo com o secretário, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos não quer atender.

A Paraíba tem cerca de 1.600 funcionários dos Correios atuando em mais de 200 agências em todo o estado.

A ECT informou que haverá uma vídeo conferência às 18h com a administração central dos Correios, em Brasília, para que seja apresentada a todos os gestores a proposta da empresa.

Com Portal Correio

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.