Servente de pedreiro confessa que foi xingado e por isso matou ex-policial militar

O servente de pedreiro, Luiz Eduardo Nascimento, conhecido Duquinha, 33 anos, foi preso na manhã desta terça-feira (28) na cidade de Belém, no Brejo paraibano a 90km de João pessoa, por policiais civis da Delegacia de Homicídio da Capital e Repressão a Entorpecentes (DRE). O suspeito confessou que matou o ex-policial militar e vigilante, José Rômulo de Lima Araújo, 52 anos, em setembro de 2013, no bairro do Rangel, em João Pessoa.

Segundo o delegado de Homicídios, Bruno Germano, a Polícia Civil estava investigando o crime e chegou nome de Luiz Eduardo, como autor do assassinato. Durante pouco mais de dois meses, os policiais investigaram o suspeito e conseguiram localizá-lo trabalhando em uma construção.

- As nossas investigações revelaram que após cometer o assassinato, homem estava morando em Belém, onde tem família. Ele estava trabalhando em uma construção quando fizemos a abordagem. Ele confessou o crime e disse que estava sendo humilhado pelo ex-policial. Ele ainda revelou que não aguentava mais ser chamado de bandido, levar tapa na cara do ex-PM e daí matou o José Rômulo. Uma rixa entre eles motivou o assassinato – confirmou Bruno Germano.

O delegado disse que a arma, que teria sido usada no homicídio, foi encontrada na casa do servente de pedreiro. “Perguntei pela arma e o homem disse que estava em casa. Fomos até a residência e encontramos o revólver calibre 38. Ele foi autuado por posse ilegal de arma na delegacia local”.

Luiz Eduardo ficará detido na Central de Polícia Civil de João Pessoa onde será apresentado à imprensa no início da tarde desta segunda. Ele será levado para a Penitenciária Desembargador Flósculo da Nóbrega, mais conhecida como Presídio do Roger. 

De acordo com a delegada Roberta Gouveia, titular da Delegacia de Homicídios, dois delegados e cinco agentes de investigação participaram do cumprimento do mandado de prisão expedido pelo Tribunal do Júri da Capital. 

O delegado Allan Térruel, que está à frente da DRE, destacou a parceria das delegacias especializadas na repressão qualificada aos crimes contra a vida. “Recebemos as informações, repassamos para a Delegacia de Homicídios e participamos diretamente da operação, a fim de executar o mais rápido possível a prisão”, afirmou.

Foto: Luis Eduardo confessou que matou o ex-PM
Créditos: Divulgação/ Secom PB

COM PORTAL CORREIO.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.