Morte de relator da Lava Jato requer “apuração rigorosa”, defende vice-presidente do TJ da Paraíba



O vice-presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, José Ricardo Porto, defendeu na manhã desta sexta-feira (20), em entrevista ao Portal MaisPB, uma “apuração rigorosa” do acidente que matou o ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki.

“Para que não reste qualquer dúvida ao povo brasileiro”, justificou o desembargador, que se disse consternado e surpreso com o fato.

Circunstâncias obscuras – Porto destacou o momento sensível das circunstâncias da tragédia. “Foi as vésperas da homologação das delações da Odebrecht”, pontuou, se referindo ao conteúdo prestes a ganhar caráter oficial do que revelou o empresário Marcelo Odebrecht e dirigentes da maior construtora do País sobre propinas para políticos brasileiros.

Substituto – “O Brasil perde um homem que dignificou a cultura jurídica nacional e acima de tudo pela sua coragem no cumprimento da Lei e da Constituição”, registrou José Ricardo Porto.

Para o desembargador, paira sobre os ombros do presidente da República, Michel Temer, uma grande responsabilidade: “Ele tem que colocar um substituto acima de qualquer suspeita”.

MaisPB

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.